Dicas de viagem – Buenos Aires

Buenos Aires – O que encontrei em minha primeira viagem internacional

Acredito que viajar é o principal investimento que fazemos para nós mesmos e o melhor presente que nos damos.

Se conseguirmos viajar e também nos dar presentes então, sensacional! E claro, sim, nós sempre nos preocupamos com esta parte.

Buenos Aires na Argentina, foi a minha primeira viagem internacional e, pelo que pesquisei, é a primeira experiência internacional de muitos brasileiros, seja pela proximidade física, pela língua mais fácil ou, nos últimos anos, por estar mais barato por conta dos problemas econômicos dos “porteños”.

Conhecendo Buenos Aires e as pessoas

Argentina buenos-aires-356610_1920Buenos Aires foi nosso destino de lua de mel. Bom, na verdade a lua de mel não foi assim uma lua de mel porque afinal, nós já éramos casados, apenas oficializamos.

Então, o foco principal da viagem não foi um tema romântico, mas descobrir, conhecer, experimentar e vivenciar a nova cultura.

Por não falar espanhol perdemos oportunidades de conversar, de trocar informações, poder de fato dialogar com as pessoas, o que apesar de não ser um problema, fez falta.

Muita gente acredita realmente que os argentinos não gostam dos brasileiros, que são arrogantes, grosseiros, mas estão muito enganados.

Eles são educados e muito gentis com os brasileiros, principalmente porque estão muito acostumados a receber turistas. Não são muito de “florear”, são mais diretos, o que pode ser classificado como “secos”, mas estão longe de serem grosseiros.

Buenos Aires la-bombonera-907304_1920Tivemos alguns exemplos desta educação e gentileza quando estávamos tentando nos localizar com o mapa para chegar ao estádio do Boca e, um policial se aproximou e perguntou se precisávamos de ajuda.

Em outra oportunidade, também com cara de perdidos e o mapa na mão, uma senhora se aproximou e perguntou ao meu marido em inglês, (ele nos leva sempre a esse engano porque é alto e loiro!) Se precisávamos de ajuda.

Em outra oportunidade, quando tentávamos tirar uma foto com o disparador automático, um rapaz que passava falando ao celular tirou a nossa foto, sem desligar o celular.

E para ter uma ideia, dentro do próprio estádio do Boca Juniors, tem uma bandeira do Brasil. Verdade!

A geografia

Argentina train-588385_1920Em nossas viagens gostamos de vivenciar o lugar, experimentar situações do cotidiano e economizar, por isso usamos o transporte público.

Só usamos táxi para chegar ou sair do hotel, exceção para Nova York que também chegamos de metrô.

Em Buenos Aires, percorremos muito da cidade de ônibus. São muitas linhas, muito baratas (paga-se pelo percurso percorrido) e muito fáceis de andar.

Os pontos têm informações das ruas onde os ônibus passam, os motoristas ajudam e claro, os passageiros também.

Andar de metrô em Buenos Aires foi uma experiência no mínimo exótica: é feio, velho, barulhento, quando anda. Resumindo, assustador. Andamos apenas uma estação para conhecer.

A grande parte dos percursos foram percorridas a pé. Para mim, geralmente os lugares são logo ali.

A cidade é plana, muito bem sinalizada, é só pegar um mapa e sair andando.

E fizemos isso nos 6 dias que ficamos lá. Andávamos tanto que chegando à noite no hotel só dava tempo de tomar um banho, desmaiar e mais nada, apesar de ser uma viagem de lua de mel.

Olhávamos no mapa – que tem as informações das linhas que passam nas ruas – e “Ah, são só 8 quarteirões, dá para voltar a pé! ”.

Uma noite estávamos muito cansados e com medo, porque estava tarde e o lugar meio deserto. Então paramos para esperar o ônibus, mas chegamos à conclusão que dava mais medo ficar parado e, achamos melhor ir a pé mesmo. Pelo menos em movimento é mais “seguro”.

Manifestações políticas

Bueno Aires casa-rosada-907344_1920A fama de efervescência política, de cidadãos politizados sempre acompanhou a Argentina e realmente comprovamos isso. Em seis dias na cidade presenciamos umas 3 ou 4 manifestações, a última, que aconteceu no dia de nossa volta, fechou uma das avenidas principais, em um dos marcos da cidade, o Obelisco.

Essa com certeza foi a maior, com direito a jovens com o famoso lenço palestino e pedaços de paus nas mãos.

Nos outros dias, houve manifestações em frente à sede do governo – Casa Rosada – dos militares que lutaram na Guerra das Malvinas; manifestação sobre o assassinato não esclarecido de um jovem e a mais emocionante, a famosa manifestação permanente das “Mães da Plaza de Maio”.

É muito impactante ver aquele grupo de senhores com as panelas nas mãos dando volta na praça fazendo a chamada dos nomes dos desaparecidos políticos. É muito triste.

Comprando em Buenos Aires

buenos aires free shopAntes de minha primeira viagem internacional eu acreditava que tudo sempre seria mais barato nos outros países ou então no famigerado free-shop.

Não sei se é porque por ser uma trabalhadora assalariada como tantas de nós, não acho as coisas tão baratas assim quando viajo. Bem, nem tudo.

Algumas coisas são realmente mais baratas nos lugares que visitei, mas a grande diferença realmente está na qualidade.

Infelizmente vi que a maior parte das vezes, pagamos por um produto equivalente, um preço parecido ao praticado no Brasil, mas com qualidade superior.

Artigos em couro

roupas em buenos airesNas minhas pesquisas de pré-viagem, li muito sobre compras e percebi que os artigos de couro, principalmente as jaquetas não são tão baratas assim.

Pode ser que por conta da inflação, mas o preço era o mesmo no Brasil. Tanto que a jaqueta que meu marido comprou pagamos em reais, que aliás eram muito bem aceitos no ano de 2012.

O que achei mais interessante foi a grande variedade de modelos, tratamentos do couro e, principalmente de tamanhos.

Já os sapatos são feios e não passei nenhuma vontade.

Em minhas pesquisas pela internet, li muita gente dizendo que em Buenos Aires tem ótimos outlets.

Não cheguei a ir em nenhum porque o forte destes outlets são as grandes marcas como Armani, Dolce Gabana, entre outros.

Vinhos

vinho buenos airesJá os vinhos são baratos e bons. Se bem que não posso dizer sobre a qualidade, já que não sou nenhuma “conhecedora” de vinhos, mas para o meu gosto, um dos mais baratos que compramos no mercado ao lado do hotel e, o mais barato do cardápio do restaurante nos pareceram serem os melhores do mundo.

Só perderam o posto no ano seguinte, quando fomos para o Chile.

E os vinhos valem a pena te acompanhar na volta para o Brasil. Para mais detalhes de como trazer eu indico este blog, pena que ele ainda não havia sido escrito quando fomos para Buenos Aires e Santiago, mas será muito aproveitado na próxima oportunidade.

Cosméticos, claro!

Sim minha gente, é óbvio que eu procuro comprar cosméticos em minhas experiências internacionais. Como não poderia? Há tantas opções, marcas, formas que é impossível não comprar e, em Buenos Aires a experiência foi muito boa.

Perfumes não achei também tão vantajoso, mas os cosméticos mais simples com certeza. Existem as grandes farmácias muito parecidas com as farmácias americanas e são o paraíso dos cosméticos. Existem as marcas próprias com uma infinidade de opções e as marcas mais conhecidas. Não sabia que a Maybelline tinha tantas opções de produtos até visitar uma destas farmácias em Buenos Aires!

O que comer e beber

pao com linguiça de buenos airesAlém das compras, outro fator importante em uma viagem é, claro, a experiência culinária.

Não sou nenhuma conhecedora e principalmente, não sou aventureira para experimentar comidas exóticas, mas considero a experiência de comer em locais simples e limpinhos muito válida.

Comer em Buenos Aires não é caro, dependendo do que você está disposto. A maior parte das coisas que comi gostei muito, muito mesmo e ainda não entendo como as argentinas/portenhas são magras com tantas coisas boas para se comer. E beber!

É desnecessário falar que você deve comer carne já que a fama é grande, mas vou chover no molhado: a carne é muito boa. Comemos em um lugar muito simples no Caminito, perto do Estádio do Boca Juniors e foi uma experiência muito legal.

Eles só não têm gosto por sal, falta sal em tudo e não têm saleiros nas mesas.

Existe um molhinho que poderíamos comparar com o nosso vinagrete, chamado chimichurri feito com orégano, pimenta, óleo e outras coisas e, claro, sem sal. Mas é delicioso para comer com pão e carne.

Comida em buenos aires AlfajorAliás, o pão de lá não é muito gostoso não: meio “duro”, meio ressecado, não curti. Já as medialunas, carinhosamente apelidadas de “camarão” pelo meu marido, são sensacionais para o café da manhã, principalmente se você passar o maravilhoso doce de leite deles, que é diferente do nosso, e muito bom.

Outro salgado que foi amor à primeira mordida foram as empanadas. Muito boas, macias, saborosas, muito recheadas, foram um dos jantares econômicos mais deliciosos que tivemos em Buenos Aires quando a misturamos com outro amor ao primeiro gole: a cerveja Quilmes.

Já os famosos alfajores demoraram a nos conquistar. Para falar a verdade só me conquistaram quando cheguei aqui.

Lá, compramos um artesanal grande, uns dois industrializados muito sofridos e na volta uns pequenos, em uma padaria para dar de presente e, quando experimentei já em casa, me arrependi de não termos trazidos para nós também. Outra coisa que fica para a próxima ida lá, assim como os vinhos.

Para a próxima viagem, vamos repetir também o fantástico choripán, que nada mais é do que um lanche com pão “francês” e linguiça. Mas que linguiça (no bom sentido)!

Buenos Aires quilmes-bajo-ceroComemos em dois lugares diferentes, mas o mais gostoso, (que voltamos várias vezes) foi em um boteco no centro, lugar que ficou difícil de chegar, porque acho que não tinha nome. Um lugar pequeno, mas com ótimo atendimento.

O lanche ficou muito barato. Na época nossos dois lanches mais uma Quilmes 960 ml dava R$ 25,00, o que nos permitia sempre dar uma gorjeta para o garçom, que parecia um colega perito da Porto.

Talvez por isso – propina – ou pela simpatia argentina sempre fomos muito bem atendidos quando voltamos outros dias neste lugar.

Estas foram as nossas dicas, deixe as suas também. Curta, comente e compartilhe!

 

Texto original: Cris Vaz

Imagens: Reprodução

Edição e finalização: Claudia Freitas

Claudia Freitas

Claudia Freitas, bem maior de 40, jornalista e editora deste singelo Blog.

Oi deixe sua crítica, ideia ou sugestão.