De repente 40

Sempre tive uma estranha relação com o tempo. Desde pequena achava que eu estava no lugar errado com a idade errada. Eu não me encaixava e, por isso não via a hora de fazer 18 anos.

Achava que sendo “de maior”, eu teria mais liberdade, poderia fazer o que eu quisesse e encontrar meu caminho. Mas logo percebi que para ser livre eu não precisava ter 18 anos. Eu precisava era ter dinheiro.

Esperei ansiosa pelos 22, 25 e, depois pelos 30 anos, acreditando que quando chegasse aí, todos os meus sonhos já estariam realizados. Entende-se por sonhos, uma boa colocação profissional, casar, ter filhos, viajar pelo mundo e por aí vai.

Percebi que como eu, as outras mulheres também se apegavam aos objetivos não atingidos para justificarem sua frenética corrida atrás do tempo perdido.

Mas o engraçado do tempo é que quanto mais se corre atrás, mais ele foge e, vou dizer uma coisa, depois dos 35 ele voa, escorre pelos dedos.

A gente deseja que pelo menos para as mulheres, o dia tivesse 36 horas. Só assim para fazer tudo o que precisa e ainda conseguir descansar.

Mas o tempo, que também é a favor da igualdade de gêneros, corre igual para todos e, aí quando menos se espera, tem 40 anos.

E juro por Deus, mesmo que todos digam que eles são os novos 30, ainda continuam sendo 40.

Como é ter 40 anos

woman-570883_1920

 

Ter 40 anos é perceber que apesar da idade, a aparência é a mesma de quando tinha 39.

É tentar imaginar como serão as coisas daqui pra frente, como se acontecesse alguma mágica que de repente nos transformasse em uma mulher de 40.

Mas este mistério logo é desvendado com a realidade de que nada mudou, a não ser que agora se tem mais um ano de vida.

E aquela dúvida de como se comportar, como se vestir, como viver com 40 anos, logo é esclarecida pelo simples fato de que não precisa mudar nada.

Como dos 18 para os 30, aqui também as transformações acontecem gradativamente. Sejam elas internas ou externas. Como as rugas e os cabelos brancos que teimam em aparecer.

Com o tempo se percebe que o medo de ser uma “velha” é mesmo um mito, porque você vai completar 40 e, continuar exatamente igual está agora, sem falar que velha era sua avó, não é mesmo!

Ter mais de 40 é…

girls-1858565_1280Ter mais de 40 anos é ter vontade de voltar no tempo, de ficar jovem de novo, e não contar isso pra ninguém.

É se lembrar de todos os cuidados necessários para prevenir doenças e, se arrepender de não tê-los seguidos, afinal, começam a surgir os problemas de saúde.

É ter mais cansaço, mais fome, mais barriga e, mais saudade. Ao mesmo tempo, menos paciência, menos coragem e, menos amigos.

Ter mais de 40 anos é se lembrar de situações que aconteceram a mais de 20 anos atrás (duas décadas).

É odiar quem nasceu em 90 e ser pelo menos 15, 20 anos mais velha que muitos dos seus colegas de trabalho.

É ter amigos que quando nasceram, você já tinha se formado no colégio, entrado na faculdade ou se preparando para sair dela.

É dar valor para as coisas que desprezava e, desprezar as coisas que antes dava valor.

É perceber que apesar de não parecer, a vida é bem fácil, basta se apegar menos e criar menos expectativas.

É aceitar as coisas como são, não por comodismo, mas por experiência e, simplesmente deixar prá lá o que não te apetece. Isso vale tanto para as roupas, os objetos, as comidas, quanto para as pessoas.

Depois dos 40 se aprende que as pessoas são o que são. Por isso não tenta mudar ninguém e, não aceita que tentem te mudar.

É ter mais medo, por reconhecer as consequências dos atos. Medo de ir embora e de dizer adeus. Medo de que coisas ruins aconteçam e de tomar decisões erradas.

Mas o melhor é que depois dos 40, se alcança aquela tão sonhada liberdade. A liberdade de não dever nada pra ninguém, de ser quem quiser, sem encanações. De ir e vir sem pedir permissão.

Se é bom ter 40 anos? Claro que sim.

É ótimo perceber que já se foram os tempos de inseguranças, que ninguém morre de amor e, que também é possível se divertir e ser feliz independente do peso e da aparência.

É descobrir que por mais que se tenha vivido, ainda é possível se emocionar da mesma forma como quando deu o primeiro beijo, quando se apaixonou ou quando teve filhos.

A pior parte de se ter 40 é saber que seguimos rumo aos 50, mas a melhor parte também é seguir rumo aos 50, afinal, ainda temos tempo para realizar e, o mais importante, com muito mais tranquilidade.

Não tenha medo, viva os quarenta!

Ps.: A ideia do título roubartilhei da amiga Alessandra Hanna que está se preparando para mudar de fase. Parabéns Alessandra!

E como foi a sua transição? Conte a sua experiência, deixe um comentário.

Claudia Freitas

Claudia Freitas, bem maior de 40, jornalista e editora deste singelo Blog.

6 comentários em “De repente 40

  • fevereiro 5, 2017 em 7:12 pm
    Permalink

    Amei seu texto e vou usar de inspiração para minhas “palavras” no dia do meu niver…..VIVA OS 40!…

  • março 20, 2017 em 10:45 pm
    Permalink

    Ameiiiii esse texto Clau, me emocionei e me fez me preparar………já que estou rumo a essa idade, kkkkkk, bjus grandes.

  • abril 11, 2017 em 8:15 pm
    Permalink

    Oi Tita que bom que gostou. Quando chegar lá, conte pra nós a sua experiência tá bom. bjs

  • julho 20, 2017 em 12:15 pm
    Permalink

    Eu acho os 40 anos uma bela m*rda. O peito cai e murcha, o cabelo fica horrorosamente branco, prlancas, rugas, marcas no rosto começam a aparecer, buracos na bunda (não tô falando de celulites)… Fora que o corpo fica mais fraco, a saúde, todo hora vc tá indo ao médico. Homens de 70, 80 e até 90 passam a flertar com vc!!! E os da sua idade não mais. Os mais novos até ficam com vc mas só pra viver uma aventura. As roupas que vc costuma e gosta de usar ficam ridículas e vc se vê tendo que usar roupas de velha que vc detesta. Os amigos tão nessa de filhos e casamento e vc que sempre odiou essas coisas e ainda odeia fica no vácuo sem amigos, sem ter quase com quem se relacionar, principalmente fazendo as coisas que vc gosta de fazer, como ir à festas, baladas, dançar, ficar acordada até de manhã… As pessoas só falam de viagens caretas, do restaurante tal que foram em não sei aonde, do hotel não sei o que ficaram naquelas férias. Parece que tudo tá ligado a conforto, paz e ao paladar. Aí vc descobre o verdadeiro significado da palavra tédio. Por outro lado, no meu caso, fiquei mais aventureira, corajosa, minha força física, fôlego e energia aumentaram. Dinheiro faz falta, principalmente passando por um momento mto ruim financeiramente, mas me sinto até jovem com esse problema pois me desafia a saber viver com pouco, me faz sentir aventureira, viver esse desafio e mostrar que apesar da velhice física sou mais jovem de espírito agora que as pessoas da minha idade pois não sinto necessidade desse conforto ridículo entediante deles (carros, hotéis, restaurantes estrelados, etc, etc). Mas isso é uma coisa muito pessoal o que torna ainda mais sozinha já que a.maioria das pessoas da minha idade não sente assim. Sinto inveja dos jovens que têm sempre um monte de amigos, uma turma… Não me importo mais com carreira (e olha que já tinha uma quando nasci, já era apaixonada desde criancinha por tudo que segui estudar e trabalhar), nem gosto mais de nada relacionado a tudo que amava antes e tinha a vocação bem forte definida desde que nasci. Hoje só me preocupa pagar as contas, ser um pouco independente (não tenho mais a neura de sumir da casa dos pais e nunca mais voltar) e juntar um dinheirinho pra fazer as plásticas do corpo, aquela depilação definitiva, a sombrancelha definitiva (não essa ridícula que as pessoas mostram na internet mas uma leve, só pra não ter o trabalho de corrigir a minha todo dia com maquiagem), um botoxzinho e muitas, mais muitas viagens, seja pra onde for (cidades próximas, cidades não tão próximas, interior, exterior)… Não precisa de luxo, só de experiências novas. O único luxo, luxo mesmo que gostaria de poder alcançar é ter dinheiro extra pra oferecer jantar, festas e presentear meus amigos (e quem sabe assim mostrar a eles como é que se diverte de verdade kkkkk). Queria reformar a casa de maneira simples mais chique e aconchegante com um karaokê e sons f*das!!!! Ia convidar todo mundo pra cantamos aqui. Ia ter um playground tb pra adultos e meu sobrinho mas com coisas diferentes e divertidas. As pessoas da minha idade querem ter tanto pra no final apenas repousar em num sofá ou cama confortavelmente ou comer de maneira luxuosa. Isso pra mim não é vida! Comer e dormir! Tô planejando pular de para-quedas, parapente, observar animais selvagens, fazer trilhas, acampar, dormir embaixo das estrelas em frente a uma fogueira… Não descartei ainda a abertura de viagens comerciais para o espaço. Se isso acontecer e eu estiver viva, tenho um amigo que com ctz tb vai querer ir e me convidar e eu vou correndo. É com o que mais sonho. As pessoas qdo ficam mais velhas sempre dizem que as músicas atuais são um lixo, os filmes, as novas tecnologias… Pelo contrário eu adoro descobrir músicas novas e os avanços da ciência e da tecnologia. Apenas trocaria toda essa maturidade e experiências por um corpo e uma cara de 20 (e claro, a chuva de homens).

    (o corretor de textos do meu celular é uma b*sta e agora não dá tempo de corrigir corretamente tudo que escrevi)

  • julho 27, 2017 em 1:10 pm
    Permalink

    Oi Paloma que beleza ler seu texto. Me identifiquei com muitas coisas que você escreveu, principalmente porque também só quero ganhar o suficiente para pagar as contas, sustentar a minha filha e me divertir. Não ligo mais pra carreira e prezo pelo tempo livre, que acaba nem sendo tão livre assim, já que faço várias coisas. Mas é isso amiga. Fiquei feliz de saber seus sonhos, conhecer sua energia e quando eu fizer uma festa vou te convidar, porque as minhas são pra lá de divertidas. Fica com Deus e, divirta-se!

Oi deixe sua crítica, ideia ou sugestão.